Cannabis medicinal para mulheres: alternativa para transtornos ginecológicos

cannabis medicinal para mulheres

 

As propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e relaxantes da Cannabis medicinal explicam por que os derivados canabinoides vêm se consolidando como uma alternativa eficaz para tratar transtornos ginecológicos, que vão desde dores menstruais até quadros mais amplos, como os desconfortos do climatério e as complicações da endometriose.

Embora muitos estudos envolvendo Cannabis medicinal para mulheres ainda estejam em andamento, já existem resultados promissores que relacionam o uso de canabinoides com a saúde sexual e ginecológica. É disso que falaremos neste post, explicando melhor esse cenário e as possibilidades de uso da terapia canábica no contexto feminino.

 

Relação entre Cannabis medicinal e transtornos ginecológicos

Mulheres que sofrem com menstruações dolorosas, com dores crônicas associadas à endometriose e com os desconfortos do climatério – como alterações de humor, ondas de calor e insônia – podem encontrar alívio desses sintomas a partir do uso assertivo de derivados canabinoides, em especial o CBD (canabidiol) e o THC (tetra-hidrocanabinol).

A pesquisa Willingness to Use Cannabis for Gynecological Conditions: A National Survey realizada em 2020 com 995 mulheres com mais de 18 anos nos Estados Unidos (EUA), deixa claro o desejo das mulheres em buscar por essa ferramenta terapêutica. No estudo, que contemplou os 50 estados dos EUA, a maioria das entrevistadas respondeu que utilizaria cannabis medicinal para tratar problemas ginecológicos.

>>> Acesse aqui o artigo completo Willingness to Use Cannabis for Gynecological Conditions: A National Survey.

Entre os transtornos para os quais as entrevistadas se sentiram mais à vontade para recorrer à terapia canabinoide destacam-se diversos quadros de dor, como dores na gravidez e no parto, dores advindas de cânceres ginecológicos, dores da endometriose, dores menstruais e dispareunia (dor relacionada ao ato sexual).

Outros contextos para os quais essas mulheres responderam positivamente sobre a possibilidade de recorrer a Cannabis medicinal incluem:

  • Ansiedade pré-procedimentos ginecológicos;
  • Inserção de dispositivo intrauterino;
  • Sangramento menstrual irregular;
  • Náuseas do período de gravidez;
  • Disfunção sexual;
  • Infertilidade.

 

Alternativas de uso da Cannabis medicinal para mulheres

Como a descoberta do Sistema Endocanabinoide ainda é algo relativamente recente na Ciência Médica, muitas pesquisas envolvendo o uso terapêutico da Cannabis para mulheres ainda estão em desenvolvimento. Porém, já existem algumas evidências científicas que sugerem os benefícios terapêuticos dessa planta em diversos contextos ginecológicos. Veja quais são os principais. 

 

Endometriose

Mulheres que sofrem de endometriose enfrentam dores frequentes e intensas, predominantes na região pélvica. Os tratamentos convencionais geralmente incluem a prescrição de hormônios ou agonistas do GnRH (hormônio liberador de gonadotropina), cujos efeitos colaterais incluem sintomas de menopausa, como ondas de calor, secura vaginal, alterações de humor e perda precoce de cálcio dos ossos, que podem comprometer ainda mais a qualidade de vida dessas mulheres. 

As propriedades analgésicas e antiinflamatórias dos fitocanabinoides surgem como uma alternativa mais segura e, possivelmente, mais eficaz no alívio desses sintomas.

Esta revisão bibliográfica publicada em 2017 reúne estudos relevantes que apontam o uso de canabinoides – em especial o THC – como alternativas ao tratamento convencional da endometriose, que inclui terapia medicamentosa, hormonal e cirúrgica – nos casos mais graves. 

O THC se destaca neste contexto por sua capacidade de modular os componentes emocionais e cognitivos relacionados à percepção da dor.

>>> Veja aqui o artigo completo The Clinical Significance of Endocannabinoids in Endometriosis Pain Management.

 

Climatério

Os desconfortos do climatério comprometem de forma significativa a qualidade de vida da mulher. Enxaqueca, insônia e ondas de calor são alguns dos sintomas frequentes nesse período, os quais ainda carecem de alternativas farmacológicas suficientemente eficazes. Novamente, os derivados canabinoides se destacam como uma valiosa alternativa terapêutica porque desempenham um importante papel na estabilização do humor, analgesia e indução do sono.

Acredita-se que isso se deve à interação dos principais fitocanabinoides – tanto o CBD quanto o THC – com os receptores cerebrais que favorecem a redução dos níveis de ansiedade e depressão.

 

Saúde sexual

Os usos da Cannabis medicinal para mulheres incluem também os benefícios relacionados à saúde sexual, como estimulação da libido e a facilitação do orgasmo, além do alívio da dor nos quadros de dispareunia. É o que mostra uma pesquisa publicada em 2019 nos EUA pela Sociedade Internacional de Medicina Sexual

O estudo em questão, embora reconheça que as evidências científicas do uso medicinal da Cannabis no contexto sexual ainda são limitadas, apontou perspectivas promissoras a partir da experiência de 373 mulheres que responderam a um questionário sobre práticas sexuais. Desse total de participantes, 34% afirmaram fazer uso de Cannabis antes da atividade sexual.

Os relatos foram de aumento no desejo sexual, melhora no orgasmo e diminuição da dor durante a penetração – embora não tenham sido relatadas mudanças na lubrificação vaginal. A pesquisa apontou ainda que a frequência de orgasmos satisfatórios foi maior nas mulheres que relataram o uso prévio de Cannabis.

>>> Acesse aqui o estudo completo The Relationship between Marijuana Use Prior to Sex and Sexual Function in Women.

 

Como vimos, apesar da escassez de literatura, as perspectivas em torno da Cannabis medicinal para mulheres são bastante otimistas. Porém, um contexto assertivo de prescrição de canabinoides requer formação adequada na área, que possibilite otimizar os benefícios terapêuticos da planta conforme as particularidades do quadro clínico e o histórico de cada paciente.

Se você deseja acessar esse conhecimento disruptivo, entre em contato conosco e faça parte da nossa comunidade global de estudos em Medicina Endocanabinoide!  

 


Referências

Bouaziz J, Bar On A, Seidman DS, Soriano D. The Clinical Significance of Endocannabinoids in Endometriosis Pain Management. Cannabis Cannabinoid Res. 2017.

Han L, Alton K, Colwill AC, Jensen JT, McCrimmon S, Darney BG. Willingness to Use Cannabis for Gynecological Conditions: A National Survey. J Womens Health (Larchmt). 2021.

Lynn BK, López JD, Miller C, Thompson J, Campian EC. The Relationship between Marijuana Use Prior to Sex and Sexual Function in Women. Sex Med. 2019.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Mantenha-se Conectado

Artigos

Educacional

Siga nossas redes sociais e fique atualizado!

pt_BRBR